Este site não está atualizado, consulte o site do agrupamento atualizado em www.aeffl.pt
Siga-nos RSS Facebook Twitter
13 de Agosto de 2022
  • Decrease font size
  • Default font size
  • Increase font size


Temo o homem de um só livro.
São Tomás de Aquino

 
O livro é uma extensão da memória e da imaginação.
Jorge Luís Borges

 
A honestidade foi e será sempre a arma decididamente mais forte para todas as lutas da humanidade que vive e progride.
Enrico Fermi

 
O que não consigo criar não consigo compreender.
Richard P. Feynman

 
O oposto de uma afirmação correcta é uma afirmação falsa. Mas o oposto de uma verdade profunda pode ser outra verdade profunda.
Niels Bohr

Início Livro do Mês Livro do Mês
Livro do Mês PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
.Amanhecer na Rotunda
José Sequeira Gonçalves e João Espada
Saída de Emergência

Imaginemos um sonho chamado "República". Um sonho que falava de justiça, liberdade, igualdade. Um sonho que levou dois mil anos a atravessar a História, da Roma Antiga à França revolucionária. Tão perto no espaço e tão longe no tempo, afinal.
O sonho "República" atravessou terras e mares, continentes e oceanos, e um dia chegou a Portugal.

O amanhecer daquele dia de Outubro, na Rotunda lisboeta onde mais tarde se ergueria a estátua do Marquês, trouxe uma nova esperança a Portugal. Nesse amanhecer houve heróis que deixaram o seu nome gravado a ouro na memória colectiva do povo português. Machado Santos foi o maior deles. Mas houve também desconhecidos, como Alcídio, o latoeiro da Calçada do Duque, que poderá ter contribuído para o êxito do movimento, ou Amadeu Santana, o alfaiate que terá procurado impedi-lo. Apesar de ninguém alguma vez ter referido os seus nomes. Até hoje…
Actualizado em Domingo, 19 Setembro 2010 22:04