Este site não está atualizado, consulte o site do agrupamento atualizado em www.aeffl.pt
Siga-nos RSS Facebook Twitter
8 de Agosto de 2020
  • Decrease font size
  • Default font size
  • Increase font size

De tudo o que se escreve, apenas amo o que se escreve com o próprio sangue.
Nietzsche

 
Todas as coisas têm o seu mistério, e a poesia é o mistério de todas as coisas.
 Garcia Lorca


Temo o homem de um só livro.
São Tomás de Aquino

 
Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.
Antoine Lavoisier

 
A melhor prova de que a navegação no tempo não é possível é o facto de ainda não termos sido invadidos por massas de turistas vindos do futuro.
Stephen Hawking

O Fim do Tempo? PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

O Fim do Tempo?Parménides, filósofo grego (séc. V A. C.) foi dos primeiros a afirmar que tanto o tempo como o movimento e a mudança não passavam de ilusões. Nos nossos dias, outro homem nega a existência do tempo há já 30 anos: Julian Barbour. Este britânico, doutorado em física, decidiu não tentar conquistar uma situação estável na Universidade. Ganha o pão como tradutor de revistas científicas russas e dedica o tempo que sobra a pensar sobre temas fundamentais, sem a angústia que atinge qualquer cientista: publicar ou morrer. Pode dar-se a esse luxo, pois não depende de subsídios que exijam u mínimo de textos publicados por ano. Diz que assim consegue pensar com maior profundidade; poderá ser a melhor solução, tendo em conta as dores de cabeça que este tipo de questões provocam.

O Fim do Tempo?Questões a meio caminho entre a Física e a Filosofia 

Já Richard Feynman, Prémio Nobel da Física, afirmava: Nem me perguntem o que é o tempo! É demasiado difícil pensar sobre o assunto.” O cosmólogo Lee Smolin não lhe fica atrás: “Estudei o que é o tempo durante a maior parte da minha vida, e não estou mais perto da resposta do que quando andava na escola primária.”

     Uma pessoa pragmática diria que o tempo é aquilo que o relógio marca, mas, se pegarmos nos dois relógios mais perfeitos jamais fabricados, os sincronizarmos e os deixarmos a funcionar, acabarão por marcar uma hora diferente, mais tarde ou mais cedo. Qual dos dois está certo? Ainda mais interessante: o que queremos dizer ao afirmar que um relógio se adianta ou se atrasa? Estamos a partir do princípio de que existe um tempo absoluto, mas como podemos afirmá-lo, se não é possível medi-lo com precisão?

    Acreditar num tempo pré-existente conduz a certos paradoxos, explica Lee Smolin. “O tempo poderia decorrer se não houvesse nada no universo? Se tudo se detivesse, o tempo continuaria a passar?

    Para complicar ainda mais, novas teorias como a do “Paradoxo da Informação”, vêm afirmar que a própria noção de causalidade se pode diluir num mundo sem tempo definido em termos macrocósmicos.

    Actualmente o mundo científico está dividido: alguns cientistas pensam que existe um tempo intrínseco, oculto nas dobras do universo; outros defendem simplesmente que o tempo não representa um aspecto fundamental do mundo, sendo apenas uma certa criação do espírito para orientarmos as sequências de informação, a um determinado ponto relativo.

 

Destaques

Gala das Francisquíadas 2013
 
Lip Dub 2013
 
 
SeguraNet
 
Agência Portuguesa (PROALV)
Agência Portuguesa (PROALV)
http://www.proalv.pt/public/PortalRender.aspx?PageID={fca3e27e-2ae1-4ddb-b44a-f32523394236}
.Comenius
Questionnaires
 
Projeto “Advocating a Critical Media Literacy”
Apresentação
TwinSpace